quarta-feira, 15 de abril de 2009

Instalação no Expocom Sul



Figura: Maquete / Planta da distribuição dos grupos na instalação realizada no auditório.


A forma de expressar a busca da cidadania foi a partir do conceito “cidadania” num formato de experimentação de produção multimídia, no caso a “instalação”:
"Essencialmente é a construção de uma verdade espacial em lugar e tempo determinado. É passageira, é presença efêmera que se materializa de forma definitiva apenas na memória. O sentido de tempo, no caso da fruição estética da Instalação é o não-tempo, onde esta fruição se dá de forma imediata ao apreciar a obra in loco, mas permanece em sua fruição plena como recordação".[1].

O objetivo era provocar atitudes de cidadania tanto nos alunos participantes assim como nos futuros sujeitos-receptores da instalação, dessa forma combinando arte e jornalismo como inter-relação de conhecimentos. No planejamento e realização dessa produção multimídia optou-se por interagir diretamente com os espectadores, ou seja, ir além de uma simples exposição dos trabalhos. Houve diversidade de suportes utilizados (vídeos, fotos, programa radiofônico, perfomance do “Carlitos”, teatro de fantoches, mandala, entrega do jornal cultural), através de recursos (como datashow, retroprojetor -logotipo-, expressão corporal, construções como o “túnel” e “ação e omissão”, feitos de material reciclável, ou, a “sala” de leitura do jornal), tudo num ambiente de tranqüilidade com incenso de erva doce e tocha praiana, entre outros.

"A permanência da Instalação é um fenômeno destacável na Arte Contemporânea, sendo uma das mais importantes tendências atuais. A instalação, na Contemporaneidade tornou-se mais complexa e multimidial, enfatizando a espetacularidade e a interatividade com o público. As combinações com várias linguagens como vídeos, filmes, esculturas, performances, computação gráfica e o universo virtual, fazem com que o público se surpreenda e participe da obra de forma mais ativa, pois ele é o objeto último da própria obra, sem a presença do qual a mesma não existiria em sua plenitude".[2].

Dessa forma, a interatividade foi provocada a partir dos vários sentidos, sendo que os espectadores circulavam no auditório, lugar em que foi realizada a instalação, de forma não-linear. Isto é, foi feito roteiro inicial de exibição de vídeo com os bastidores, logo a seguir, os visitantes circulavam e entravam nos espaços com a companhia do “Carlitos” - quem distribuía poemas-folheto - ou seguindo a trilha de jornal no chão.


Foto: Logotipo da instalação.




[1] BOSCO, Luciana e PECCININI, Silva Daisy. Arte Conceitual. Disponível em: <http://www.macvirtual.usp.br/mac/templates/projetos/seculoxx/modulo5/instalacao.html> Acesso em: 22 ago. 2008.
[2] Idem.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

CIDADANIA EM FOCO

GRUPO: JUCIMERY, TERESINHA, RICARDO, VILSON, JEAN
Nosso projeto cidadania em foco teve como objetivo principal mostrar como a cidadania pode ser exercida com simplicidade através da comunicação. Não basta apenas falar em exercer a cidadania, mas sim ensinar através de pequenos atos.


Nosso projeto foi dividido em quatro partes:
A parte da comunicação visual através de fotos, mostrando como e onde podemos contribuir com a cidadania.
CIDADANIA: Toda pessoa tem direito a uma ordem social e internacional, em que os direitos e as liberdades estabelecidas na presente declaração possam ser plenamente realizados.
O que é cidadania na educação?
Cidadania é usufruir de seus direitos como cidadão; exemplo a educação.

Toda pessoa tem direito instrução, a instrução será gratuita pelo menos nos graus elementares e fundamentais.
A instrução elementar será obrigatória.
A instrução técnica profissional será acessível a todos bem como a instrução superior esta baseada no Mérito.

Como praticar a cidadania? Conhecendo seus direitos e obrigações na: - Declaração Universal dos Direitos Humanos - Constituição Federal, Estadual e Lei Orgânica Municipal - Código Civil e de Defesa do Consumidor - Estatuto da Criança e do Adolescente Onde? Nas bibliotecas, escolas, sindicatos, órgãos públicos, partidos políticos, entidades e associações em geral.

Toda pessoa tem direito de ser em todos os lugares reconhecidos como pessoas perante a lei.
Toda pessoa tem direito ao trabalho, a livre escolha de emprego a condições justas e favoráveis, de trabalho e a proteção contra o desemprego.
Toda pessoa que trabalha tem direito a uma remuneração justa, satisfatória que lhe assegure assim como sua família uma existência compatível com a dignidade humana.




O que você já fez para melhorar sua comunidade?Quem quer resolver sempre acha um jeito,Quem não quer sempre acha uma desculpa
O cidadão, por princípios deve começar organizando sua vida, sua casa, reunindo sua família, parentes, amigos e vizinhos na busca de soluções comuns a todos. Participar de ações nas associações escolares e comunitárias, sociedades amigos de bairro, clubes, partidos, sindicatos, igrejas, etc.



Acompanhe o desempenho dos seus representantesNunca esqueça em quem você votou - Fiscalize-o sempre
Se você esquecer-se deles, eles se esquecem de você. Envie a eles, periodicamente, suas avaliações, sugestões e críticas. Acompanhe seu prefeito e seus vereadores. Visite sua câmara e sua prefeitura municipal. Envie correspondência aos seus deputados estaduais, federais e senadores; ao seu governador e ao presidente da república. Seus telefones estão neste folheto. Ligue e dê seu recado. Mande um correio eletrônico (e-mail) ou carta. Obtenha os endereços por telefone, nas agências do correio ou Internet. Os deveres vêm antes dos direitos. É seu dever exigir seus direitos. O cidadão é o patrão dos políticos, autoridades e funcionários dos órgãos públicos.







Principais direitos do cidadão
- direito de ir e vir - direito de igualdade perante a lei- direito de fazer ou deixar de fazer alguma coisa- direito de não ser torturado e receber tratamento desumano- direito a intimidade, vida particular, imagem, à inviolabilidade de seu domicílio, seus dados e correspondência e sua honra- direito de liberdade de expressão intelectual e comunicação- direito à reunião e liberdades políticas e religiosas- direito à informação, à propriedade e a petição



Cidadania são um conjunto de direitos e deveres que da a pessoa a possibilidade de participar ativamente da sociedade.
Isso não significa que temos privilégios e sim direitos. A cidadania é um direito a ter direitos.
Pois a igualdade em dignidade é um direito do ser humano é um dado.
É construído da convivência coletiva, que requer acesso ao espaço publico.
É esse acesso ao espaço publico que permite a construção de um mundo através do processo de asserção dos direitos humanos.
Tudo o que acontece no mundo, no meu país, na minha cidade, minha escola, trabalho, acontece comigo.



A vida é para ser construída e desfrutada coletivamente·As qualidades de vida, o futuro da civilização humana, do planeta e a origem de todos os problemas sociais e ambientais estão na falta de educação e falta de exercício da cidadania. Ninguém vive só. Ninguém consegue nada só. Todos podem e devem participar para melhorar o lugar em que vivemos. O ausente mal pode reclamar. O castigo de quem não participa é ser governado por quem participa. Cada um fazendo um pouco. Aprendendo mais e participando, podemos viver bem melhor.
Sua presença ou ausência faz diferença simÀ democracia, a cidadania e a justiça socialsomente se estabelecem com a sua participação
A cidadania é a sua participação











COMO MELHORAR SUA QUALIDADE DE VIDAConheça melhor os assuntos mais importantes para o seu desenvolvimento Pessoal, Profissional e Social
História- Comportamento humano - Saúde - Sexo - Cidadania - PNL Comunicação - Marketing - Motivação - Controle mental - e outros
“Sua qualidade de vida, seu futuro profissional e umlugar melhor para vivermos só depende da sua participação”



Principais deveres do cidadão
- escolher os representantes nos poderes executivo e legislativo- cumprir as leis, fiscalizar e exigir que sejam cumpridas- respeitar os direitos sociais de outras pessoas- proverem seu sustento com seu trabalho- alimentar parentes próximos que sejam incapazes de prover seus próprios sustentos- proteger a natureza e o patrimônio comunitário público do país- colaborar com as autoridades- garantir o sustento dos filhos menores de 21 anos e dos maiores incapazes; e pensionar o cônjuge, em caso de separação ou divórcio, caso necessite de auxilio.


Quais são os deveres?Deve conhecer respeitar as leis e exigir que elas sejam respeitadas. Não basta pagar os impostos e votar em garantir seus direitos. Participar é um dever. É fundamental a participação e a vigilância do cidadão na administração pública e na defesa de seus direitos.

“Quem não luta pelos seus direitos, não é digno deles” A SITUAÇÃO SÓ VAI MELHORAR QUANDO VOCÊ PARTICIPAR



Segunda parte: expressão corporal e comunicação visual através das mímicas e mensagens do ator.
Mímicas

Terceira parte: Teatro de fantoches, comunicação verbal e não verbal, onde abordamos todos os critérios do bom jornalismo em prol da cidadania.
Teatro de fantoches:
No teatro trabalhamos o conceito de cidadania, e interagimos com o publico. Nosso objetivo foi mostrar através do teatro, que o jornalista tem um papel fundamental na conscientização da sociedade. Criamos um tele jornal, o assunto em pauta era a ética no jornalismo, e importância da objetividade nas informações. Na apresentação conseguimos conscientizar os futuros profissionais da informação sobre a importância de agir com clareza objetividade e ética.
Mandala:
Quarta parte: A comunicação aqui é diferenciada, envolve vários sentidos, tato, audição visão, e também a imaginação. O conceito de cidadania é exposto de uma forma diferente, porem eficaz para a conscientização de sua importância, principalmente entre os meios de comunicação.
Uma nova forma de comunicação surgiu através da mandala, uma linguagem simples, clara, objetiva, em forma de arte. Através deste objeto mostramos como é possível ver o mundo de diversas formas, e agir com ética e cidadania independente da situação.
O projeto cidadania em foco teve o intuito de mobilizar o público presente, em prol a cidadania. Acreditamos que não importa a forma que você exerça a sua, mas que o faça.

sexta-feira, 21 de novembro de 2008



Galera na Instalação!
Muito trabalho, muita pesquisa e muita arte!
Agradecimento especial para professora Ofelia! :)

Com dedicação e carinho é possível transformar.
Até a próxima!



Vídeo-Foto INSTALAÇÃO CIDADÃ

Sobre Instalação Cidadã: Grupo do Túnel

"Entre no túnel. Transforme."

No dia 14 de novembro, realizamos a Instalação Cidadã, projeto proposto pela professora Ofelia Morales, com o intuito de unir vários trabalhos, com o tema cidadania, utilizando técnicas aprendidas nas disciplinas deste semestre. A sala do segundo semestre de jornalismo, foi dividida em seis grupos, que organizaram suas propostas e definiram um espaço, no auditório da instituição (IBES-SOCIESC), para apresentá-los a outros acadêmicos da área de comunicação e público convidado.


Foto: Nosso grupo no dia da instalação

Nosso grupo decidiu envolver o público da instalação em um túnel, montado com caixas de papelão, que foram gentilmente cedidas pelo Supermercado Angeloni, Agrosul Catarinense e Fakini Têxtil. A idéia de utilizar papelão foi para propor ao público a sensação de conhecer uma realidade, infelizmente comum em nossa sociedade atual: os menos favorecidos financeiramente.
Dentro do túnel, disponibilizamos um vídeo, com duração de 2 minutos, que mostrava pessoas, de vários gêneros, olhando para a câmera por cinco segundos. Em cada imagem, o público lia frases de gostos comuns, independente de classe, como por exemplo: "Gosto do cheiro da chuva", "Gosto de ter amigos", "Gosto de comida feita com carinho" etc. O vídeo iniciava com o Artigo 5º da Constituição da República Federativa Brasileira de 1988, que diz: "Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade". E finalizava com os dizeres: "Somos mais parecidos do que imaginamos. Lute por nossos direitos. Transforme".


Foto: Produzindo o vídeo do túnel. Foram filmadas 34 pessoas completamente diferentes.

Após acompanhar o vídeo, o público observava fotos, emolduradas com papelão, com imagens conceito do cotidiano. As fotos foram cedidas pela fotógrafa e psicóloga Ana Cláudia Lubitz, que também compareceu ao evento. No mesmo espaço das fotos, contamos com a participação do músico Marcelo da Luz, que desenvolveu trabalhos experimentais com efeitos sonoros e guitarra. As músicas contaram desde ruídos de chaminés, até sons de pássaros, o que surpreendeu os visitantes.
Na saída do Túnel, as pessoas percebiam frases pixadas com spray vermelho e preto, que induziam à reflexão e principalmente à transformação. "Entre no túnel. Transforme" foi a chamada utilizada no vídeo principal da instalação, e conceito geral do trabalho do nosso grupo
.


Foto: As imagens cedidas por Ana Claudia Lubitz, dentro do túnel

Foto: Marcelo da Luz e seu equipamento, no túnel.
Nosso objetivo principal foi alcançado. Os visitantes entravam curiosos e saíam, como relatou Madalena Parisi Duarte, jornalista: "Prontos para transformar!".
.
.
.
Grupo:
Ana Carolina Castello Branco Spada,
Francielle Buzzi,
Giovani Nasatto,
Leandro Beduschi,
Mônica Karina de Souza,
Monique Becker.

Instalação concluída e... (continua...)

Grupo: Angélica, Diego, João Paulo, Letícia, Lucian e Rúbia.




O conceito de cidadania é mais amplo e complexo do que se imagina. Além de reivindicar direitos e exercer deveres, o cidadão deve estar consciente de que suas ações interferem nas esferas social, política, econômica e cultural, tanto positiva quanto negativamente. O grupo escolheu fotografar cenas cotidianas relativas à presença e ausência de cidadania para mostrar o contraste existente na sociedade. Os temas foram doação de sangue e lixo nas ruas. A razão para o primeiro foi incentivar as pessoas a doar sangue devido a falta deste nos centros hemoterápicos. O motivo do segundo é alertar às pessoas dos perigos de jogar lixo nas ruas. Paralelo a isso, foi realizada uma entrevista radiofônica com dois professores do IBES SOCIESC sobre conceito e prática da cidadania. Escolheu-se um diálogo porque a própria cidadania é expressa nele, através do debate e troca de idéias.

A instalação, tanto a parte teórica quanto a parte prática, foi muito interessante do ponto de vista da compreensão do termo de cidadania e da divulgação deste. O projeto possibilitou uma maior aproximação entre o conceito e a incorporação do que é ser cidadão. Deveres, direitos, consciência, atos de respeito e compromisso com o próximo e a sociedade como um todo. A cidadania não existe em um único tempo, uma única hora. Ela é constante e o indivíduo deve exercê-la plenamente durante toda sua vida.

A intenção do grupo é continuar com o projeto de rádio (o programa Em Foco), entrevistando alguém em relação a algum assunto a cada dois ou três meses e colocá-lo no ar no circuito interno do IBES. Cada edição terá cinco perguntas referentes a um tema.

AÇÃO & OMISSÃO




Uma das atrações do evento foi o espaço destinado aos trapamédicos.